NOTA DE REPÚDIO – OAB

As subseções da Ordem dos Advogados do Brasil de Itajaí, Camboriú, Itapema, Balneário Piçarras e Navegantes, vem, por meio desta nota, manifestar o repúdio à mudança de sede da Justiça Federal de Itajaí. Tal ato tem trazido inúmeros problemas e dificuldades aos usuários dos serviços da Justiça Federal, em regra, segurados do INSS.

A nova estrutura tem causado constrangimentos por não oferecer instalações adequadas. É inadmissível imaginar que pessoas que necessitam de cadeiras de rodas para locomoção temporária ou permanente não consigam entrar na sala de perícia, porque a porta não é adaptada, ou então, não contarem com ciclovias para chegar ao local, sem contar que ônibus intermunicipais podem deixar de passar pelo endereço, com a implantação de um projeto em andamento.

A indignação aumenta ao pensar que as custas processuais também não serão mais pagas em dinheiro, pela Caixa Econômica Federal. Ocorrerá somente  por meio de transferência eletrônica aos que possuem contas na Caixa. E como fica o beneficiário que contaria com aquele valor para voltar para casa? Não são poucos.

Cobramos da Justiça Federal revisão nessa medida. Somos contra essa mudança que sacrifica os direitos da população que busca aquele benefício, na maioria das vezes, de baixíssimo valor.

CARTA ABERTA À COMUNIDADE ITAJAIENSE

A Comissão dos Direitos das Pessoas com Deficiência da OAB Itajaí  lança uma Carta para chamar a atenção da importância de implantar os pontos da acessibilidade previstos na lei 13146/15, Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência de 6 de julho de 2015. A intenção da Comissão é difundir essa legislação.

CARTA ABERTA À COMUNIDADE ITAJAIENSE

A COMISSÃO DOS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA DA OAB, SUBSEÇÃO DE ITAJAÍ-SC, vem a público perante toda a comunidade Itajaiense, tanto do setor público quanto do setor privado, SOLICITAR e RECOMENDAR que empresas, órgãos, poderes da administração, bem como as mais variadas empresas atuantes no Município verifiquem a possibilidade de criação, em seus quadros e organogramas internos, de COMISSÕES e/ou GRUPOS QUE ANALISEM periodicamente critérios de ACESSIBILIDADE e RETIRADA DE BARREIRAS ARQUITETÔNICAS em suas sedes e prédios administrativos, com a instalação de rampas, avisos sonoros e a implementação de outras técnicas que facilitem não somente a vida e o dia a dia dos deficientes em geral, mas igualmente de toda a comunidade como, por exemplo, idosos, pessoas com mobilidade reduzida, gestantes, dentre outros.

Praia de Cabeçudas recebeu a primeira ação do Row To Win Water

O RTW Water ou Festival de Alma Salgada como também é chamado será realizado no mês de maio, mas a proposta da organização é que até lá os moradores de Itajaí estejam envolvidos e conheçam a essência desta competição. Para alcançar o objetivo a programação conta com ações e estratégias de divulgação como a realizada no último sábado na praia de Cabeçudas quando aconteceu o RTW Experience. A ação levou para a praia, canoa havaina, surk ski, stand up e uma oficina de dança polinésia e confecção de coroas. Durante toda a manhã quem passou pelo local teve a chance de conhecer as embarcações e apender alguns passos dança e a técnica de como fazer a coroa usada pelas mulheres durante as apresentações.

Além desta experiência pelo universo da cultura polinésia e do esporte, a organização promoveu o batismo da primeira canoa havaiana de Itajaí. A embarcação batizada com o nome de Moana veio de Curitiba e foi adquirida pela Studio Remo organizadora do evento. A Va’a como também é conhecida será usada nas provas do mês de maio.

A cerimônia de batismo atraiu a atenção de quem passava pela praia e seguiu os princípios básicos do ritual realizado pelo povo polinésio, onde a embarcação é abençoada na beira da praia usando água da cachoeira e do mar. Após esta etapa foi realizada uma oração coletiva e as pessoas puderam tocar a embarcação, deixando nela toda a energia positiva. A cerimônia encerrou quando a embarcação foi carregada nos ombros pelos presentes até o mar, para a primeira remada.  Seis pessoas foram escolhidas para integrar a equipe que remou pela primeira vez a Moana.

 

Crédito Foto: Alex Melo

Ritual do batismo da primeira canoa havaiana de Itajaí será realizado neste sábado

O batismo de Canoa Havaiana, também conhecida como Va’a, é uma tradição milenar e será reproduzida neste sábado (16), na Praia de Cabeçudas, em Itajaí. Será o batizado da primeira canoa havaiana da cidade usada no Festival de Alma Salgada, o Row To Win Water, evento náutico marcado para maio, que receberá atletas de todo o país. A embarcação foi comprada pelo empresário Maurício Boabaid, proprietário da Studio Remo Game e organizador do Row To Win Water. Quem lembra do filme “Moana: Um Mar de Aventuras”? A Canoa de Itajaí receberá esse nome cheio de significados: “oceano”, “mar profundo”, “ela traz essência divina”

A Canoa Havaiana lembra e retrata boa parte da história do povo da polinésia. Ela foi responsável pelo processo de colonização daquela região, pois era o meio de transporte das pessoas. Para a sua construção eram usadas pedras, ossos e corais como ferramentas e a matéria prima eram árvores e uma vela feita de fibra de coco. Além desta importância, a cultura polinésia atribuiu às canoas um papel de membro integrante da família. Como crença realizavam o batismo da embarcação e escolhiam o nome para a Va’a. Este ritual surgiu porque o povo acreditava que tudo tinha um espírito vivo e quando derrubavam uma árvore para construir a embarcação era preciso pedir perdão.

O passo a passo do ritual de batismo é mantido em segredo pela organização. Mas para integrar as pessoas e fazer uma espécie de imersão na cultura polinésia foi organizada uma programação especial. Neste sábado, 16 de março, a partir das 9h, os moradores de Itajaí e turistas poderão participar de uma oficina de confecção de colares e coroas de flores. Já a partir das 10h30 começa a oficina de dança polinésia. Os participantes vão aprender os passos e uma coreografia para o momento do batismo marcado para às 12h30.

A responsável pelas duas oficinas é a remadora Geórgia Michelucci, que veio de São Paulo para ministrar as atividades. Durante o período da manhã estarão disponíveis também algumas embarcações e stand up. Quem for até o local terá a chance de experimentar com o auxílio de atletas cada uma das modalidades integrantes do Row To Win Water. O festival de Alma Salgada tem o apoio da Prefeitura Municipal de Itajaí e vai acontecer entre os dias 17 e 19 de maio.

Você sabia?

Como acontece o ritual: Em uma cuia de material natural, é misturada a água do mar com água de cachoeira. A água do mar representa o novo universo da canoa, onde ela vai navegar, e a água doce representa a floresta onde as antigas canoas de madeira eram concebidas. Faz-se uma roda circulando as canoas a serem batizadas e cada participante, um a um, pega a cuia com a mistura de águas e derrama um pouco do líquido e de suas boas intenções sobre a canoa. Neste momento, cada um pode falar uma palavra ou frase bonita que irá se integrar ao mana da nova canoa. Faz-se uma oração para canoa e ela é levada ao mar nos braços dos remadores.

 

Advogados da região de Itajaí repudiam a mudança de endereço da Justiça Federal

Os advogados de Itajaí  e região repudiaram a mudança de endereço da Justiça Federal. Essa conclusão foi obtida nesta quarta-feira, 13 de março, durante audiência pública promovida na sede da OAB da cidade. Profissionais da região estiveram reunidos e relataram os problemas mais comuns da rotina de trabalho na Justiça Federal. Os mais graves são relacionados a falta de acessibilidade, principalmente para os cadeirantes. Há inúmeros casos onde a cadeira de rodas não passou pela porta de perícia e o usuário teve que ser colocado em outra cadeira. Outro obstáculo é a dificuldade do uso da maca, pela estrutura pequena da sala.
 
A preocupação dos advogados é grande também com a dificuldade de acesso dos clientes, que muitas vezes não têm recursos financeiros para chegar até o local e precisam pegar mais de um transporte, ou então, pagar pelo estacionamento. 
Esses são apenas alguns dos pontos trazidos para a reunião. E a dificuldade pode aumentar com a possibilidade de não haver mais a circulação de ônibus intermunicipais pelo bairro, com a implantação de um Consórcio em estudo. 
 
Outra questão apontada é o constrangimento que os usuários têm ao entrar num hotel, para ter acesso à justiça. Muitos clientes acabam coagidos e intimidados pela apresentação física do local. Na maioria das vezes, são pessoas que buscam o direito ao benefício do INSS ( auxílio doença, pensão, aposentadoria).  Por tudo isso, ao final da audiência pública, foi um consenso entre os advogados que a Justiça Federal está num local inapropriado e assim, não cumpre com o seu papel social. 
 
Uma comissão entre os presidentes das comissões de direito previdenciário de seis subseções: Itajaí, Navegantes, Balneário Piçarras, Balneário Camboriú, Camboriú e Itapema, para dar encaminhamentos em busca de solução para esses transtornos. 
 
Reunião com a Justiça Federal 
Ainda na quarta-feira, no período da tarde, representantes da Justiça Federal estiveram reunidos com a Diretoria da Subseção e explicaram que o critério para a mudança foi econômico. Reforçaram também que outros locais foram analisados, porém, não foram compatíveis.

Experiência, foco, paixão e competência na liderança da comissão técnica do RTW Water

O Row To Win Water representa um evento nacional em modelo de Festival com três modalidades. É um dos únicos no país e no Sul já vem se tornando referência. Um dos principais diferenciais do Row To Win Water está na equipe envolvida na organização. Simplesmente um time de ponta que conta com profissionais qualificados e principalmente dedicados ao esporte. Nessa equipe cheia de garra e adrenalina está o Paulo Prass, coordenador da comissão técnica. “Recebi o convite para fazer parte da equipe técnica com uma tremenda satisfação, porque já conheço o Maurício Boabaid do Remo Olímpico e a gente tem uma história bem legal no esporte. Estou me dedicando ao máximo para o Row To Win Water”, explica.

Prass tem uma relação antiga com o esporte, desde os 15 anos no Remo Olímpico, no Grêmio de Porto Alegre. Ele permaneceu no clube até se tornar treinador e gerente de esporte. Como treinador deixou uma grande participação em três olimpíadas classificando atletas. “Tenho um contato muito intenso com o esporte, é a minha vida. Acredito que um dos diferenciais do RTW é agregar muitas pessoas em toda a organização do evento se comprometendo com a qualidade. E esse envolvimento é um grande diferencial para um evento referência”, conclui.

Eventos náuticos desse porte são realizados no eixo Rio – São Paulo e mesmo com muitos locais adequados e bons atletas, o Sul do país está carente de competições importantes como o Row To Win. O evento que será realizado nos dias 17, 18 e 19 de maio, na Praia de Cabeçudas, em Itajaí – SC, promete muitas emoções e ser um marco no esporte náutico.

Ao chegarem no litoral catarinense, os atletas vão encontrar uma entrega muito forte e especial de todos da organização. A recepção calorosa também envolve as pessoas que vem assistir esse espetáculo esportivo. Uma entrega com boa estrutura, premiação, investimento, retorno, respeito e muito carinho pelo o que está sendo feito.

Esse ano é a primeira etapa do RTW Water e o intuito é que o evento se estabeleça em todos os anos no mês de maio, na cidade de Itajaí. Duas modalidades serão realizadas como provas extra oficiais, canoa havaiana e stand up. Já o Surfski, tem uma expectativa ainda maior porque a competição realizada em Itajaí contempla a segunda etapa do campeonato brasileiro. Isso só mostra o quanto o Row To Win Water representa uma atividade importante dentro do cenário nacional.

É um evento para todos, com diversas categorias e níveis de condições de atletas. O Row To Win conta com a presença da família, da criança, do atleta júnior, intermediário, máster e assim por diante, desde atletas de elite, profissionais, até amadores.

A expectativa é de receber cerca de 800 atletas nas 3 modalidades. Contando com os acompanhantes, cerca de 2 mil pessoas devem chegar na cidade.

Motoristas da Transpiedade participam de trabalho de prevenção de acidentes

Os motoristas da Transpiedade receberam orientações dos profissionais do Sest Senat. O objetivo é reforçar a importância de estar atento ao trânsito, praticar a direção defensiva e principalmente sobre os riscos do uso de celular ao volante. Uma pesquisa realizada pela Universidade de Utah, nos Estados Unidos, mostrou que a combinação celular e trânsito pode aumentar em até 400% o risco de acidentes. Ao desviar o olhar para ler uma mensagem, por exemplo, o condutor perde cerca de cinco segundos da atenção. Se ele estiver a 80 km/h, é como se percorresse um campo de futebol inteiro sem ver o que está acontece do lado de fora.

A ação foi realizada no pátio da própria empresa de transporte público e contou com o apoio da unidade móvel do Sest Senat. No local, além das orientações, os motoristas assistiram vídeo educativo e tiraram dúvidas.

Para a Transpiedade, “esse trabalho com os motoristas contribui para manter um serviço de qualidade e principalmente a segurança de todos”, conclui o Gestor Operacional, Nairo Rodrigo da Silva.

Espaço Câncer com Alegria promove evento em comemoração ao Mês da Mulher

No dia 16 de março, o Espaço Câncer com Alegria vai promover um evento dedicado às mulheres, em comemoração ao MÊS DA MULHER. Será  das 14h às 18h, no Spazio Casini, Rua Almirante Tamandaré, 114, Centro de Itajaí. Muitas atrações estão reservadas:  como o bazar da Anita Voss, consultoria em cores de cabelo, maquiadoras da Mary Kay, atendimento de limpeza de pele da clínica D’Luxe, coffe break e uma palestra com as coachs Vanessa Molleri e Carla Gibahi com dinâmicas de vivência de auto cura.
O evento é aberto ao público e a contribuição é voluntária.

A Associação:
Os atendimentos são oferecidos há 3 anos, desde a fundação da associação, no dia 23 de setembro. O Espaço Câncer com Alegria atende na Rua José Bonifácio Malburg, 51, e presta auxílio nas áreas de doação de lenços, empréstimo de perucas, recebimento de cabelo para confecção de perucas, micropigmentação de sobrancelhas, fisioterapia, coach e psicologia.

Oficina de Dança Polinésia na Praia de Cabeçudas em Itajaí

Aula faz parte da programação do RTW Water realizado em parceria com a Prefeitura de Itajaí

Que tal aprender a técnica do gingado dos quadris da dança polinésia? Uma tradicional arte onde homens e mulheres da Polinésia costumam usar para dar as boas-vindas, reverenciar, orar, seduzir e até desafiar um inimigo. Os movimentos são acompanhados de instrumentos de percussão, como tambores e batuques, o canto das vozes segue os passos e os adornos feitos de flores e plantas compõem o cenário de uma da dança ancestral e cheia de história e magia.

Uma história, aliás, que no dia 16 de março será contada por uma pessoa que define a dança polinésia como uma oração. A atleta Geórgia Michelucci, embaixadora do Row To Win Water, marcado para o mês de maio, vem à Itajaí ministrar uma oficina de dança polinésia durante o Row To Win Experience. O local da aula é a Praia de Cabeçudas e a participação é gratuita. Além da aula de dança, as participantes vão aprender a fazer as coroas de flores usadas pelas mulheres durante as apresentações.

“A ideia é realizar uma oficina para todas as mulheres que quiserem aprender um pouco da Cultura Polinésia e a forma como eles se relacionam com a natureza. Eu vou dividir a manhã em dois momentos:  primeiro a aula com os passos de dança e na sequência a demonstração de como preparar as coroas. Depois ao final do dia a gente faz uma apresentação para o público e para os atletas que estiverem com a gente”, comenta Geórgia.

Além da dança e da imersão na cultura polinésia, quem for até a Praia de Cabeçudas no dia 16, vai viver uma experiência especial e diferente. Atletas de canoa havaiana, surf ski e stand up paddle estarão aguardando o público para um evento de integração e prática do esporte na água. O integrante da comissão técnica e membro da organização do evento, remador e Instrutor de Va’a (canoa havaiana), Luciano Fachini destaca a importância desta iniciativa inédita para Itajaí. “O evento, tem como objetivo principal integrar os diferentes grupos envolvidos direta e indiretamente no RTW Water. Através de algumas vivências queremos trazer a comunidade e organizadores para mais perto deste universo. Bom lembrar que esta vivência acontece simultaneamente com as oficinas de dança e confecção de colares e todos podem participar”, destaca Luciano.

Para fazer os adornos, a organização vai disponibilizar os materiais básicos e pede para que os participantes tragam de casa as flores preferidas ou plantas. Além dos adereços para decoração, os interessados também podem levar remos, canoas e pranchas.

 

Serviço:

Oficina de Dança Polinésia na Praia de Cabeçudas em Itajaí

Quando: 16 de março

Local: Praia de Cabeçudas

Horário: 9h

Mudança de endereço da Justiça Federal em Itajaí será tema de uma Audiência Pública na próxima semana

Na próxima quarta-feira, 13, às 19h, a OAB Itajaí vai promover uma audiência pública para abordar assuntos relacionados a mudança de endereço da Justiça Federal de Itajaí. Desde o fim de janeiro, o atendimento passou a ser feito na estrutura do Hotel Hilton, na Praia Brava. A antiga sede ficava na Avenida Abraão João Francisco,3655 ( Contorno Sul), próximo do terminal e da Câmara de Vereadores.

Desde então, a comunidade vem relatando alguns problemas com a nova estrutura. Entre os principais estão: 1) dificuldade de acesso ao local; 2) não tem ciclovia como no prédio anterior; 3) não tem bicicletário; 4) não oferece estacionamento gratuito; 5) falta de acessibilidade aos cadeirantes – a cadeira de rodas não passa pela porta da sala de perícia, por exemplo. E o piso não é antiderrapante; 6) o banheiro fica distante do local onde o público está e 7) a Caixa Econômica Federal não efetua mais o pagamento em dinheiro das custas processuais, como no caso das Requisições de Pequenos Valores. O pagamento será somente através de transferência eletrônica, no entanto, só para pessoas com contas na Caixa. “ Algumas atitudes foram feitas e precisamos encontrar saídas. Por isso, vamos conversar com os responsáveis para que a gente tenha o entendimento das motivações para a tomada dessa decisão de mudança para o atual local. E ver se há possibilidades de remodelar o que não está dando certo”, comentou o presidente da Subseção, Renato Felipe de Souza.

Desde a confirmação da mudança de local, a OAB de Itajaí atua em busca de solução e respostas. Em fevereiro, encaminhou ofício solicitando informações sobre os motivos da alteração do local e recebeu a confirmação que a principal causa a redução da despesa. O valor gasto com aluguel e manutenção da sede anterior passou de R$187.990,63 para R$127.808,87. O oficio encaminhado é assinado pela Diretora da Justiça Federal do Estado, a magistrada Claudia Maria Dadico informa ainda que foram analisados outros empreendimentos, mas não foram considerados viáveis.

A Justiça Federal com sede em Itajaí atende a população de 9 cidades: Balneário Camboriú, Balneário Piçarras, Bombinhas, Camboriú, Itajaí, Itapema, Navegantes, Penha, Porto Belo. Por dia, cada perito faz em média 20 perícias. Na maioria das vezes, três peritos realizam atendimento.

Representantes da Justiça Federal se comprometeram em conversar com a Diretoria da OAB no dia 13, às 14h para esclarecer outras dúvidas e colocaram-se à disposição para participar da audiência na noite de quarta-feira.Toda a comunidade de Itajaí está convidada a participar. Será no auditório da OAB de Itajaí.

 

Foto: Booking