Posts

Brasileiro vence argentino campeão Pan-americo de remo

Matheus Freitas do Clube de Remo do Vasco da Gama e integrante da seleção brasileira de remo voltou a fazer história no Row To Win. O remador que já era dono do melhor tempo dos 1000 metros do Circuito Internacional de Remo Indoor bateu o próprio recorde na prova de Balneário Camboriú realizada no último dia 24.  Além do melhor tempo do circuito o remador de 22 anos é dono da melhor marca de 2018 em todo mundo. Matheus completou a prova em 02`46.1, o tempo anterior era de 02’49.8.

Entre os adversários da promessa do remo no Brasil estava o campeão pan-americano e remador da seleção Argentina Rodrigo Murillo. O remador argentino veio à Santa Catarina especialmente para esta prova. Uma disputa esperada pelos atletas inscritos no Circuito e pelo público presente na arena, afinal de contas um duelo entre brasileiros e hermanos é sempre motivo de rivalidade, mas ao mesmo tempo de demonstração de espírito esportivo e valorização do potencial de cada atleta.

Dentro da arena Matheus conquistou o melhor tempo, mas fora dela o remador brasileiro ressaltou o potencial do adversário argentino e admiração pela história construída por Rodrigo Murillo dentro do esporte. “Para mim é uma felicidade competir com um cara que foi tantas vezes campeão, qualquer campeonato que tenha ele está. Então, se eu for metade do que ele foi até hoje eu já estou satisfeito”, destacou Matheus.

Rodrigo Murilo fez o segundo melhor tempo da prova de 1000 metros, fechou em 02’52.7 e ao final da disputa também registrou a admiração pelo adversário.” Matheus é muito bom, é muito forte. Mas eu quero voltar aqui, eu não gosto de perder e por isso eu pretendo voltar para vencer este desafio”, finalizou Rodrigo Murillo.

Santuário de Nossa Senhora dos Navegantes passa a ser reconhecido mundialmente

A cidade com aproximadamente 77 mil habitantes celebra neste domingo (08), uma missa especial, com a presença do Bispo Dom Rafael. Juntos, centenas de fiéis devem comemorar o anúncio do Guiness Record, com o maior manto de Nossa Senhora do mundo.
O maior manto do mundo foi abençoado e utilizado na procissão da 122ª Festa de Nossa Senhora dos Navegantes, realizada no dia 2 de fevereiro, na cidade catarinense. No dia, pelo menos 5 mil devotos ajudaram a carregar o manto que vestia a imagem centenária de Nossa Senhora, outras cinco mil pessoas acompanharam fazendo orações.
Para Daiane Maria da Silva, o momento foi de muito amor e fé. “Dá impressão de que tivesse tocando em Nossa Senhora. Foi muito emocionante participar, porque esse manto serve como um abraço, uma proteção”, explica. Daiane Maria é uma das milhares de pessoas que tiveram a oportunidade de levar para casa uma lembrança desse momento especial.
Após a procissão o manto gigante de Nossa Senhora dos Navegantes foi dividido em 16 mil pedaços e entregues para os fiéis. Em casa, no trabalho, no carro ou com a própria pessoa, ter um pedaço do manto de Nossa Senhora é especial. “As pessoas usam nas horas de aflição, que buscam proteção, como se busca de uma mãe”, lembra Lindomar Luzia Couto.
O maior manto do mundo foi confeccionado durante 60 dias, na empresa Equilibrios por dezenas de profissionais. Para conquistar o título do Guiness Record, a medição foi realizada na presença de um topógrafo, engenheiros, bombeiros, policiais, fotógrafos, além de moradores da cidade que comprovaram os 1.059,80m² de tecido com renda que vestiria Nossa Senhora no dia da procissão.
“Tivemos que seguir várias exigências e critérios para a certificação do título mundial. Esse manto gigante não é um pano qualquer, ele precisou ser em escala o tamanho do manto verdadeiro, além de estar preso à santa. Aqui na cidade essa é uma festa tradicional com uma devoção muito grande, então nada mais natural do que a empresa por estar aqui na comunidade se envolva nessa produção tão importante”, conclui Luiz Campana, gerente da empresa.
O resultado do guiness Record foi publicado no mês de junho e coloca o Brasil como o primeiro país a confeccionar um manto gigante. E a iniciativa não para por aqui. Todos os anos, o Santuário de Nossa Senhora dos Navegantes contará com um manto gigante para que os devotos de todo o país possam participar da procissão durante a festa em honra à padroeira e quem sabe até terem a experiência de seguirem cobertos pelo manto de Nossa Senhora.

Controle do limite da cota para a safra da tainha será feito com informações das indústrias

Os dados das indústrias de pesca enviados por meio de um formulário online no site do Ministério do Meio Ambiente (MMA) e da Secretaria Especial de Aquicultura e Pesca (SEAP) vão servir como um controlador de volume de captura para a safra da tainha (Mugil Liza) deste ano. Pela primeira um sistema de cotas irá funcionar. As instruções deste novo modelo e a importância do preenchimento e envio das informações foram repassadas pelo Coordenador Técnico da ONG Oceana, Martin Dias. Ele esteve em Itajaí conversando com armadores e representantes das indústrias pesqueiras associadas ao SINDIPI. Durante a reunião, Martin destacou a importância da implantação do sistema de cotas, mas lembrou que alguns erros e falhas devem acontecer, pois é o primeiro ano. “Foi muito trabalhoso chegar até aqui, teve muita abertura por parte do setor e das indústrias que durante o debate sobre a possibilidade de implantar este modelo forneceram dados. Informações responsáveis para a definição da cota máxima no estado que é de 3.417 toneladas sendo 2.221t para a pesca industrial (cerco/traineira)”, mencionou Martin.

De acordo com as regras para a safra deste ano, estas informações online devem ser encaminhadas no prazo de até 48 horas, contando a partir da compra ou recebimento da tainha por parte das indústrias. Na planilha existem 8 campos para preenchimento, entre as informações estão dados como: 1. Número de registro do SIF, 2. Número do lote na empresa, 3. Peso de tainha recebida, 4. Tipo de produtor (artesanal/ industrial), 5. Nome do fornecedor, 6. RGP do pescador ou da embarcação, 7. Data de entrada de recebimento, 8. Número da Nota Fiscal.

Os dados serão monitorados e mais tarde cruzados com os mapas de bordo e de produção. Quando o volume de captura atingir 80%, a Secretaria emite uma portaria suspendendo a captura. Outro ponto importante destacado durante a reunião, é o aviso de saída das embarcações dos portos. Cada barco precisa comunicar sua saída no mesmo dia ou com antecedência máxima de 24 horas, através do formulário online (disponibilizado SEAP e ou MMA) ou impresso, caso for impresso deverá ser protocolado no escritório Regional da SEAP ou IBAMA de Santa Catarina. As informações necessárias são simples: 1. Nome da embarcação, 2. RGP, 3. TIE, 4. Data prevista de saída, 4: Porto de saída. Depois deste envio, o governo emite um número de protocolo, (online ou impresso). O documento serve como segurança caso esta embarcação esteja em alto mar quando o alerta do fim da safra for emitido.

Para participar do processo de seleção da safra 2018, os armadores encaminharam toda a documentação comprobatória dos critérios estabelecidos no edital. Critérios que segundo a avaliação do Coordenador da Câmara Setorial do Cerco do SINDIPI, Agnaldo Hilton dos Santos, foram democráticos. “Claro que existem pontos que precisam ser reavaliados, mas diferentemente do ano passado não vai existir sorteio. Esta mudança tende a melhorar, pois existia uma redução gradativa de 20% ano no número de embarcações e este novo modelo garante a participação de mais barcos trabalhando”, destacou Agnaldo. Ainda segundo o Coordenador da Câmara do Cerco, depois de encaminhada a documentação, a data para a publicação da lista com o nome das embarcações autorizadas depende da agilidade da SEAP, mas os armadores estão otimistas e aguardam o resultado da seleção pelo menos 5 dias antes do começo da safra previsto para o dia 1°de junho. Com a implantação do sistema de cotas, 50 barcos (cerco/traineiras) devem receber a autorização para a safra deste ano. Em 2017, apenas 17 embarcações associadas ao SINDIPI participaram da captura.

Câmara de Desenvolvimento da Indústria da Pesca da FIESC promove reunião em Itajaí

A semana começa com debates e busca por soluções para o setor pesqueiro de Santa Catarina. Nesta segunda-feira (07), a partir das 9h a Câmara de Desenvolvimento da Indústria da Pesca da FIESC promove um encontro com armadores e empresários das indústrias associadas ao Sindicato dos Armadores e das Indústrias de Pesca de Itajaí e Região – SINDIPI. Participam da reunião representantes do SEBRAE e do SENAI de Chapecó.

Para o presidente da Câmara, André Mattos o encontro será uma oportunidade para o setor conhecer produtos e serviços que possam auxiliar nas necessidades enfrentadas pelo setor. “O SENAI de Chapecó por exemplo vai apresentar um trabalho de análise de alimentos, um tipo de serviço que as nossas indústrias utilizam. Quando uma empresa de pesado precisa analisar algum produto elas encaminham para São Paulo ou Pernambuco. A intenção é usar o laboratório do SENAI que fica aqui no estado”, destaca André.

Na programação do SENAI estão previstas ainda palestras sobre: “Soluções para as indústrias de Pescado” e “Tendências e Otimização do processamento de Pescados”. A participação do SEBRAE encerra o encontro deste segunda-feira. A reunião será realizada na sede do auditório do SINDIPI.