Neste 29 de agosto, lembrado como o Dia Nacional de Combate ao Fumo, precisamos reforçar a importância de discutir os impactos que o cigarro causa na saúde de quem fuma e também de quem está ao seu lado. Além de ser o responsável por inúmeras doenças do sistema respiratório, do coração, ele também é um grande inimigo quando falamos no câncer. Sabe-se que, pelo menos, 30% dos casos de câncer são causados pelo tabagismo. Então, com tantos malefícios, por que continuar insistindo neste vício?

Como médico oncologista tenho o dever de falar para toda a sociedade que o cigarro precisa ser banido. As mais de 4 mil substâncias são altamente prejudiciais a saúde e, por isso, políticas públicas devem ser implantadas com o objetivo de conscientizar os fumantes e os não fumantes sobre todos os riscos e proibir o cigarro em locais abertos e fechados.

Uma pesquisa bem recente feita pelo ICESP, o Instituto do Câncer do Estado de São Paulo, aponta que o tabagismo é responsável por 65% dos casos de câncer na bexiga em homens e 25% em mulheres. Um dado alarmante que confirma: o cigarro é o principal fator de risco para este tipo de câncer, assim como para o câncer de pulmão.

Sabemos que os tratamentos com novas medicações estão evoluindo. Assim como a chegada da imunoterapia, uma nova classe de remédios que estimula o próprio organismo a combater as células cancerígenas. Neste momento, inclusive em Itajaí, está disponível um novo tratamento gratuito para pacientes com câncer de bexiga que busca melhores resultados. Mas, o que acompanhamos também é que essa inovação mundial está acelerada para os casos que geralmente o paciente nunca tenha fumado, ou então, os resultados estão mais promissores para este público. E quando falamos em promissor é que o paciente geralmente não passa por quimioterapia, assim fica livre dos efeitos colaterais desse tratamento e tem qualidade de vida durante os procedimentos.

Não podemos mais aceitar que milhões de pessoas morram vítimas do tabaco. Segundo a OMS, a previsão é que em 2030, o número de mortes chegue a 8 milhões por ano, por conta do cigarro. Hoje, esse número já é de 6 milhões. Então hoje você leitor do Diarinho que fuma, se eu puder ajudar, eu te digo: jogue o cigarro fora e largue esse vício! Ao governo eu reafirmo: é preciso banir o cigarro da vida da sociedade, para que possamos viver mais e melhor.

Giuliano Borges – médico oncologista Itajaí